Pular para o conteúdo principal

Cardigan Top Down - Harry Potter

Não sou uma acumuladora de fios - ainda - e vou comprando aos poucos apenas quando tenho um projeto em mente. Neste caso, foi um pouco diferente, encontrei uma super promoção de merino e não resisti. Eram poucos novelos na cor amarela - que eu adoro - e apenas um na cor telha. Comprei oito novelos, que era basicamente o que tinha, e nunca mais vi esse fios na loja.

Os novelos eram bem fotogênicos e apareceram muitas vezes no meu instagram.

Então eu teria que fazer uma peça com 800 m de fio, que para o meu tamanho, tudo bem. Os novelinhos ficaram alguns meses parados, para que eu finalizasse outros projetos. E o frio foi chegando, e pensei em fazer uma top down, aproveitando para treinar um pouco mais os aprendizados em aula com a Nat Petry.

   
Quando faço peças para mim eu tece sempre a noite ou aos finais de semana. E quase sempre estou de pijama, com uma manta quentinha...adoro.

Mas para não fazer igual as outras - tenho três, uma feita em aula com a Nat (marrom), uma que fiz em curso com a Cris Bertoluci (laranja com jacquard) e uma que fiz sozinha, que mais parece um colete pelas mangas curtas, feita com uma mistura de lã japonesa e lã brasileira.

   

Pensei em fazer aberta, como um cardigan. Mas eu não tinha nenhuma referência naquele momento. Durante o curso da Cris eu vi uma aluna fazendo, e achei que seria oportunidade de testar. Resgatei as anotações e fui em frente, sabe aquela frase: - sem medo de ser feliz!

Eu fiz um decote apenas tecendo o ponto malha, para que ficasse assim, enrolado. A parte de baixo eu fiz um ponto barra - que ficou bem delicado e quase imperceptível - para não enrolar. Apenas com pontos simples a gente consegue dar movimento a peça. 

Quando a gente tece em top down, chegando na altura da cava, as mangas são separadas e tecidas depois. Eu continuei com o corpo da blusa até sobrarem três novelos amarelos e o novelo telha. Pensei em usar um novelo amarelo para cada manga e só depois continuar o comprimento.

Não coloquei botões por opção. Fiz um cordão 
de correntinhas abaixo da gola para amarrar. 

Modelo definido, agora eu precisava saber como combinar as cores, afinal eu tinha apenas um novelo de outra cor. Comecei timidamente, fazendo uma detalhe na gola. Conforme a peça foi crescendo eu pensei em usar a cor telha nas mangas, já que os punhos em cores caras acabam sujando muito. Mas como calcular para que uma manga não fique diferente da outra? Esse foi um grande desafio.

  

  
Aproveitando o dia na Casa das Caldeiras e a querida Telma para me ajudar com as fotos. 
Que lugar lindo!

Deu certo! Usei quase um novelo inteiro para a primeira manga, e fiz umas listras de telha e o punho também. Sobrou o suficiente para a outra manga e para continuar com o corpo da peça. No final optei em fazer apenas umas listras e a barra ficou no amarelo mesmo.

Sempre bom quando encontramos 
pessoas amigas dispostas a nos fotografar!

O cardigã ficou bem comprido, o que eu adoro. Mas achei que as mangas poderiam ter ficado mais compridas. Mas mesmo assim ficou bem legal. E como as cores me remetem ao filme, logo apelidei de Harry Potter! Hahaha. E olha que nem sou fã das histórias, mas fazer o quê.






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presépio de Crochê

Faz alguns anos que desejo fazer um presépio de crochê para mim, e sempre penso que vou começar em janeiro, para que no final do ano ele esteja pronto. Acontece que janeiro é sempre mais agitado, depois vem carnaval e quando você percebe já acabou o ano. Meu presépio montado, estou bem feliz com o resultado. Não imaginei como esse projeto traria tanta alegria para minha casa. E neste 2019 não foi diferente, ou melhor, foi. Janeiro passou, chegou o meio do ano e nada de presépio. Mas um dia, no final de setembro decidi começar a crochetar o meu. Bastou dar os primeiros pontos para que eu tivesse disposição e assim foi. Antes mesmo de novembro terminar eu já estava com oito personagens prontos, que ao meu ver são os essenciais.             Alguns registros que fiz na execução dos três reis magos. Ontem, primeiro de dezembro montei meu presépio de crochê, usei uma base de mdf pintada (feita por mim que vai entrar na loja) para o fundo, e ficou lindo! Não imaginei como e

Presente de Aniversário - Aula Com a Lugastal

Segunda foi meu aniversário, e não consegui preparar nenhum post com antecedência - aliás isso está virando uma constante na minha vida de aspirante a blogueira. E não é porque não estou produzindo nada para compartilhar, muito pelo contrário estou numa fase super produtiva, mas não estou conseguindo me organizar para preparar os posts, aliás é preciso fotografar, passar as fotos para o computador, tratar as fotos, digitar o texto, é um trabalhinho considerável, que eu adoro, só não estou dando tanta prioridade neste momento. Um mar de Lindas! E só a minha de calça e blusa!  Algumas fotos são minhas, outras da Lu e das meninas Mas vamos o melhor dessa semana, rever minha querida amiga Lu Gastal. Quem está aqui há mais tempo sabe como eu e a Lu somos parceiras. Nos conhecemos num Patch Encontro promovido por ela em 2014 e desde então foram tantos eventos, feiras, aulas, passeios juntas. Quanta coisa boa tem acontecido comigo nos últimos tempos.              Quanto carinh

A Chita É Chique?

Para inaugurar essa nova etapa do blog, nada melhor que começar com um post bem colorido e cheio de histórias. Quem não conhece a chita, não é mesmo? Esse tecido mega colorido que era considerado de baixa qualidade, e agora começa a ganhar novos ares e novos lares também. Digo era, porque numa pesquisa rápida, descobri que tem estilista produzindo peças incríveis com ela, vem comigo. Quem me conhece um pouco mais sabe que adoro livros, e sempre dou uma olhadinha nas livrarias para conhecer as novidades. Numa destas, encontrei esse daqui: Uma Festa de Cores Memórias de um Tecido Brasileiro, que logo me chamou a atenção pelas cores. Ele conta a trajetória da chita no Brasil e como aqui se fez presente em muitos lares brasileiros. Os desenhos (ou melhor, colagens) são de Anna Gobel, com textos de Ronaldo Fraga. Não tive dúvida, comprei na hora! "Estampas falam, cores suspiram...mas só a chita canta e dança." Algumas páginas do livro, as imagens foram feitas com pedaç