Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2021

Receita Afetiva #10 - Cuscuz Paulista

Já postei essa receita há muitos anos, ela é super tradicional na minha família. Sabe aquelas receitas coringas que sempre levamos nas festas da escola, nos aniversários? Então, é a própria. Todas as minhas tias fazem, mas a que eu gosto mesmo é a da minha tia-mãe, falei dela num post do instagram.  Anote aí e se fizer, pode me marcar. Ponto certo do cuscuz, depois de cozinhar a farinha. Forma untada com óleo e "enfeitada" com ovos cozidos, azeitona e coentro. Por fim a massa colocada por cima, agora é só ir para a geladeira. Cuscuz Paulista ingredientes - 1 lata de sardinha no óleo - tomate bem maduro picadinho - alho - cebola - azeitona - mix de temperos (salsinha, cominho, orégano, manjericão) - pimenta dedo de moça (ou qualquer outra ardida) - farinha de milho amarela (farinha de biju de milho amarela) modo de preparo Corte o tomate grosseiramente e bate no liquidificador. Numa panela refogue a cebola e o alho, junte o tomate já batido e misture até dissolver. Coloque um

Escambo Gráfico - Trocas de Gravuras

Estou participando de uma troca de gravuras, o Escambo Gráfico ; organizado pelo artista Vitor Pedroso da  Piruá Gravuras .  Xilos secando antes de serem enviadas. Nunca havia feito uma tiragem tão grande. Cem artistas se cadastraram, e a proposta é enviar 21 cópias de uma gravura, que poderia ser de qualquer técnica (linóleo, xilogravura, gravura em metal...), para depois receber de volta 20 gravuras diferentes de outras artistas. As pessoas foram divididas em cinco grupos de 20 pessoas, e através de sorteio cada uma foi designada a um. Muita sujeira, madeira e goivas. Como é gostoso entalhar. Criei uma xilogravura especial para participar. Pensei num desenho simples, mas com significado. Desenhei uma candeia sobre um livro. A luz e a leitura me traz a imagem da sabedoria, da busca pelas respostas, pelo estudo.   Processo de impressão, primeiro coloquei a matriz no papel e depois virei para passar a colher. Existem muitas maneiras, inclusive eu faço outras também, tudo depende do caso

O Brasil em Cores - Plantas Tintórias (collab Mattricaria e Suvinil)

Há muito acompanho o trabalho da Maibe, da Mattricaria , inclusive fiz um curso com ela de tintas naturais em 2019. Minha intenção era usar tintas feitas artesanalmente nas minhas estampas . Cheguei a testar algumas em casa, mas preciso de tempo para fazer essa transição.  A Maibe faz um trabalho incrível para catalogar as plantas tintórias brasileiras. Os testes são feitos com as plantas nativas de cada região e quem quisesse participar, bastava enviar para ela em Brasília. Mapa lindo feito pela Alê Matteo, que por coincidência trabalhamos  juntas,  num escritório de arquitetura.  imagem: Suvinil       As fotos do processo são lindas demais. Sugiro fortemente que você siga a Mattricaria e também dê uma passada no instagram da Suvinil . Vale a pena se inspirar nesse mundo mágico das cores.     fotos: Suvinil Recentemente a Suvinil fez uma collab com a Mattricaria, e lançou um catalógo de tintas com as cores brasileiras, dividida entre Amazônia, Caatinga, Pantanal, Cerrado, Mata Atlânt

DIY - Como Fazer uma Bancada de Cimento

Desejo antigo e realizado recentemente. Pesquisei muito na internet e na vida real, e então dedidimos fazer uma bancada de cimento para o banheiro, com cuba de louça. Primeiro você precisa definir o tamanho da sua bancada, com largura, comprimento e altura do tampo, para só então partir para o desenho do molde. Escolhi o compensado plástificado para fazê-lo, o preço é ok e ele pode ser reutilizado outras vezes. Essa foto foi tirada assim que assentamos a bancada na alvenaria.  Ainda faltava o revestimento da parede e a instalação da cuba e da torneira.  Farei a atualização assim que for possível. A grande dificuldade de comprar essas placas é o tamanho delas. Por isso que fui atrás de uma marcenaria que me vendesse já cortada. Só que o recorte da cuba, eles não faziam, e então fizemos nós mesmos. Se atente a localização da cuba e da torneira (se for de mesa), pois quando você for construir o molde, pense que ele está de cabeça para baixo, a parte que ficará visível é a que está no topo

Receita Afetiva #9 - Pão de Mel

A receita afetiva desta semana é da Fátima ( @mimosdaterrinha ), que faz lindas peças de crochê e atualmente mora em Portugal. Ela me contou que a irmã fez este pão de mel para o casamento dela. É esse tipo de receita que gostamos por aqui: que traz boas memórias! Ando empolgada para fazer quitutes em casa. Até por isso criei uma linha de panos  de prato e cestos para legumes, tudo estampado manualmente. PÃO DE MEL Ingredientes da massa:  3 xícaras (chá) de farinha de trigo 1 xícara (chá) de açúcar 1 colher (sopa) de manteiga ou margarina 1 xícara (chá) de mel 1 xícara (chá) de leite 1 colher (sobremesa) de canela em pó 1 colher (sobremesa) de fermento em pó 6 cravos (torrar na frigideira, amassar e peneirar) caldo de um limão grande Preparo: Misture a manteiga com o açúcar. Acrescente o mel, o leite, a farinha de trigo, a canela,o limão,  o cravo peneirado e, por último o fermento. Leve para assar em assadeira retangular, untada e polvilhada com  a farinha de trigo, em forno pré-aquec

Moldura com Cabide Antigo

Ando fazendo muitos desenhos ultimamente, além de ter gravuras, prints, fotos de artistas que admiro. E para colocar na parede existem muitas formas, com moldura em madeira tradicional, colar com fita adesiva direto na parede... e com cabides. Cabides de madeira, desenhos, pregadores diversos... Já tinha visto muitas decorações com cabides, serve não apenas para desenhos, mas para tapeçaria, lenços e outros itens que ficam muito bem em destaque.   Usei o cabide de saia, ele é perfeito para fixar o papel, pois não precisa de mais nada, só encaixar entre as madeiras e prender. Dei uma olhada nos armários da minha mãe, da minha tia e encontrei cabides de madeira de diferentes tamanhos, formas e épocas. Cores, formas e texturas diferentes. Estes cabides são lindos e  não "merecem" ficar escondidos no armário. Eles são por si mesmos uma peça decorativa. Alguns dá para perceber que foram feitos a mão, pois não tem uma forma regular, e isso é o que deixa a peça mais incrível.     En

Receita Afetiva #8 - Suflê de Arroz

Depois de alguns dias de folga, voltamos com nossas receitas afetivas de culinária. A querida Patrícia me enviou três receitas salgadas, a primeira já foi postada, e vamos de suflê de arroz hoje. Caso você não tenha vista as anteriores, pode clicar aqui . Bora separar o arroz? Imagem de  ally j  por  Pixabay   SUFLÊ DE ARROZ Ingredientes:  2 xícaras de arroz cozido; 1 xícara de leite; 3 ovos; 2 colheres de queijo ralado; 2 colheres de manteiga (na receita original é margarina, mas eu não uso rsrs); 1 colher de chá de fermento. Modo de Preparo Separe as claras para bater em neve, reserve. Bata todos os ingredientes no liquidificador, exceto as claras e o queijo. Despeje numa vasilha, acrescente as claras e misture delicadamente.  Coloque numa forma refratária untada, jogue o queijo por cima e leve ao forno moderado por 30 minutos para gratinar. Humm, eu fico sempre com vontade de experimentar todas as receitas que recebo, e você? Foto do caderno de receitas original da Patrícia.  Trans

Quadradinho da Vovó - Granny Square Day

Andei sumida por uns dias do blog, vou confessar que fui "engolida" pelas Olimpíadas e acordava às 5h para assistir aos jogos e a minhas manhãs pouco renderam. Semana passada tive que colocar tudo em ordem e já estou de volta por aqui. E ontem foi o dia dele: o quadradinho da vovó. Acredito que seja a peça mais icônica em crochê de todos os tempos. Todo mundo tem uma peça ou conhece algum parente que tenha, nem que seja um porta copos de quadradinho.   Essa peseira foi feita recentemente pela minha mãe. Eu fiz um esboço de como queria as cores e ela foi tecendo. Sobrou fio, fizemos uma borda maior, a franja foi com a sobra da sobra, ou seja, aproveitamos tudo. Falo sobre ela neste post aqui . Não foi assim que aprendi a crochetar - foi fazendo pulseiras e depois biquinho de pano de prato - mas muitas pessoas começam por ele. Não é cansativo, pode ser colorido e os mais simples não exigem muita atenção, então é perfeito para aquela roda de amigas papeando e crochetando, ou pa

Estamparia Digital - Cursos Durante a Pandemia

 No início do ano fiz um curso de estamparia digital, e tem sido muito importante para agregar técnicas ao meu conhecimento de estamparia manual. A profusão de cursos on line neste último ano, devido a pandemia, tem favorecido muito quem busca ampliar seus estudos. Fazendo em casa tem sido muito melhor do que eu imaginava, apesar de ainda preferir os encontros presenciais. Um dos meus estudos de mood board, ou seja, painel  de inspiração para a coleção de tecidos. A professora foi a designer Camilla Bologna, e as aulas foram incríveis, muito conteúdo interessante e inspirador. Passamos pelo mood board, pela criação do banco de imagens autorais, aprendemos sobre estampa localizada, corrida, falso-corrido, a usar programas de computador como photoshop e illustrator. Primeiros estudos para criação de estampa, misturo desenho feito a mão e fotos. Evolução dos estudos de estampa. Mudança de cor, tamanho dos componentes das  imagens, foi uma grande experiência. Criei algumas estampas para o

Receita Afetiva #8 - Queijadinha de Pão

 Mais uma receita afetiva da família da Janaína . É bem fácil e deve ser uma delícia. Se você ainda não viu as outras receitas, entre aqui .   Imagem de  Please Don't sell My Artwork AS IS  por  Pixabay   QUEIJADINHA DE PÃO Ingredientes: 6 pães franceses descascados e cortados em fatias; 1 litro de leite; 1 lata de leite condensado; 100 g de queijo ralado; 100 g de coco ralado; 4 ovos Modo de Preparo: Coloque os pães numa forma, e bata os demais ingredientes no liquidificador. Leve ao forno para dourar, e é só servir. Humm....

Refazer - Como Você Lida Com Isso?

Vou usar o exemplo de uma peça de tricô, mas serve para tudo. Em 2017 eu fiz minha primeira blusa de tricô. Eu sempre achei que tecer peças grandes seria um "sofrimento", que era demorado demais, e adiei por muito tempo esse início. Esse tipo de novelo em que os fios vem coloridos, é uma técnica topdown é uma boa alternativa. Assim as listras ficam iguais na frente e costas. Só para as mangas é preciso separar as cores. Nada como amigas para incentivar e uma onda de tricoteiras aparecendo. O processo está todo descrito neste post aqui , e durante todos estes anos usei como colete, por baixo de um casaco, ou até mesmo sozinho.  Mas sabe quando você não está feliz com a roupa? Apesar de não estar feliz com ela, eu usava - pior seria manter no armário só para me lembrar da 1a roupa tecida e nunca vestir - e neste inverno eu estava com vontade de tecer algo mais tranquilo, mas relaxante. Muito feliz com meu colete/blusa nova. Apesar do fio ser acrílico e com anos de uso, ficou ót

Receita Afetiva #7 - Risoles

A receita afetiva desta semana é muito fofa. A Patrícia Fernando , uma querida que conheci através do tricô, aprendeu a cozinhar muito cedo, com 9 / 10 anos. E essa receita de risoles foi uma amiga da escola que deu para ela fazer em casa. Estes eram os quitutes vendidos na cantina. Receita original do caderninho da Pati. Bora fazer então? Risoles 1 copo de leite 1 copo de farinha de trigo 1 colher de sopa de margarina 2 ou 3 ovos batidos farinha de rosca  óleo para fritar sal a gosto recheio como preferir Modo de Preparo Misture o leite, a farinha de trigo, o sal e a margarina. Leve ao fogo mexendo sempre. Quando a mistura estiver pronta e soltando da panela, tire do fogo e deixe esfriar. Quando a massa estiver fria, abra com um rolo, faça os pastéis e passe no ovo batido e na farinha de rosca.  Frite em óleo quente. Ponha sobre papel para escorrer. Hummm....quem fizer já sabe, pode me marcar que vou adorar.

Soleira - Usar ou Não?

Ainda usamos soleira ou não? Como tudo em arquitetura, depende. O projeto deve ser feito para cada pessoa e de acordo com o modo de vida dela. Mas vou tentar ser bem clara nas opções em cada caso. Primeiro você sabe o que é soleira ? É um revestimento instalado no espaço inferior do vão da porta, podendo ser na largura do batente, a soleira propriamente dita; ou um filete na espessura da folha da porta, o baguete. Vamos aos casos: Piso de madeira seguindo por dois ambientes, passando pela porta sem soleira. Fi ca mais bonito e traz uniformidade a casa.  Foto de  Curtis Adams  no  Pexels 1 - Um revestimento apenas em toda a casa, tipo um porcelanato, uma cerâmica, um granito. Neste caso não se deve colocar soleira e nem baguete. Imagine que em cada cômodo, onde haja uma porta, colocando a soleira, você vai interromper a paginação do piso, e o que era para ser único, dar a sensação de amplitude, vai ficar dividido. Então NÂO coloque! Ambiente integrado, sala com piso de madeira e cozinha