Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2019

Leitura - Troca de Livros Físicos e Minha Estante Virtual

Vamos falar de literatura? Este ano tenho lido mais, desde que ganhei um kindle aumentei o número de livros lidos. Alguns fatores como facilidade de levar o leitor digital, a possibilidade de ter vários livros juntos e o valor dos e-books por ser mais acessível. Mas mesmo assim continuo comprando - e agora trocando - livros físicos. Há alguns meses descobri o perfil bookster no instagram. Na verdade já havia ouvido falar e até visto entrevistas do Pedro Pacíficio, criador do blog; mas não tinha me identificado com ele. Agora sou uma bookster assumida, e fico de olho nas resenhas, nas ofertas e nas novidades. Livros para o ano que vem. E foi através dos comentários dos posts dele que encontrei o Skoob . Uma rede social para leitores. Lugar específico para você cadastrar seus livros, fazer resenhas, dar notas, ter amigos que gostem de ler, e o principal - ao meu ver - trocar livros. Achei ótimo trocar livro por livro. Normalmente em sebo, se você leva vários livros, ganha um cr

Sebastião Salgado - Gold Mina de Ouro Serra Pelada - Exposição de Emocionar

Conheci o trabalho do Sebastião Salgado no primeiro ano de faculdade, em 1997. Fizemos um desenho - livre escolha - de alguma foto exposta numa exposição (que não me lembro onde foi). Fiz isso, sentar no chão do museu, em dois momentos. O outro foi na Pinacoteca , numa exposição do Piranesi . O cenário é bem escuro, luz baixa...achei incrível! Soube por acaso dessa exposição sobre a Serra Pelada , e como estava na Paulista aproveitei para conferir. E está imperdível! Muito emocionante, triste ao mesmo tempo. As fotos vistas de longe parecem pedras, mas quando aproximamos a imagem impressiona: São pessoas sujas de lama! Reparem de perto cada pontinho desse é uma pessoa, um homem. As fotos são monocromáticas, e isso nos influencia a ter essa percepção quando olhamos as imagens; e é claro que o trabalho do bom fotografo é esse, transmitir uma mensagem. E ele consegue fazer isso muito bem. Fica até novembro, no Sesc Avenida Paulista e é gratuito. Não percam! Na verdade, se

Restos De Fios - Colete de Tricô

Sou bem controlada com a compra de fios novos. Penso sempre em algum projeto e não saio acumulando demais. Vocês que me acompanham no instagram já viram várias vezes a prateleira de fios amigurumi, e imaginam que eu comprei tudo! Mas não, eu ganhei o bolão da copa do mundo e por isso aquele monte de fios estão expostos - decorando - e sendo usados aos poucos. Adorei essa peça. Fiz minha própria receita e quando estava  quase no final, tive a ideia de fazer o capuz. Terminei recentemente alguma peças, a manta pop, o casaco amarelo (Harry Potter) e sobraram alguns restinhos de fios. Barroco, Anne, Charme, e mais alguns outros que não sei os nomes, também estavam parados - a maioria eu ganhei nos cursos que fiz e sobraram, mas o barroco marrom foi o primeiro fio que comprei para fazer amigurumi e ainda tinha um restinho.       Normalmente eu faço minhas peças a noite quando paro para relaxar, descansar.  E muitas vezes estou de pijama. Adoro relembrar os momentos em que esta

História das Mulheres no Masp

Finalizando a sequência de exposições que eu havia me programado - vão aparecer muitas outras até o fim do ano - fui ao Masp conferir uma exposição com obras só feitas por mulheres. Há menos de um mês que entrou em cartaz, e por isso quis ir logo no começo, para não acontecer com a Tarsila, que fui deixando e as filas ficaram enormes...e não vi. Dá para ficar horas observando esse quadro da inglesa Emily Osborn. Adorei o piso, a riqueza de detalhes e inclusive o tema, já que é uma mulher tentando vender um quadro num ambiente bem masculino. Olha a cara de desdém do moço. Adorei essa artista francesa, Adrienne Grandpierre-Deverzy, foram os dois quadros que eu mais gostei.  São ateliês de mulheres pintoras. Para minha felicidade tinham alguns posteres dos quadros a venda e esse estava entre eles. Claro que não pensei duas vezes, comprei! Vai ganhar uma moldura e um espaço lindo na minha casa.    A foto nunca condiz com a realidade. As peças de tecido são muito linda

Entalhe com Faca

Seguindo no meu caminho de estudos da madeira, fiz um curso de entalhe com faca. Cheguei a dar aula de agulha de bambu (que não é madeira), e tenho um conhecimento que foi adquirido intuitivamente, mas encontrei a oportunidade para aprender com quem já faz isso há tempos.    Sentamos em círculo e cada um escolheu seu pedaço de madeira, lápis de carpinteiro e faca. Primeiro passo: Apontar o lápis. Feito com sucesso! Foram dois dias de curso. O professor é alemão e mora no Brasil há alguns anos, Marcus Geimer. Já trabalhou com marcenaria lá na Alemanha, e essa troca é muito valiosa, ter o privilégio de aprender com quem viveu em outro país e ainda estudou numa escola Waldorf é demais.     Fazer a escultura foi o primeiro exercício, e para proteger os dedos usamos esparadrapo.           Aos poucos a peça foi ganhando forma. Primeiro fizemos uma escultura numa madeira pinus. Tivemos que aprender até como se segura a faca! Parece simples, mas não é. O processo para lixar

O Que Andei Costurando - Blusa Para o Calor

Antes mesmo da primavera chegar, comecei a costurar algumas blusas para meu armário handmade. Posso dizer que nestes sete anos, desde que aprendi a costurar, passei a comprar poucas roupas. Sou muito adepta da camiseta de malha, e não sei costurar esse tecido, portanto são as únicas que ainda compro (lingeries, meias e sapatos também estão inclusos).      Uso muito essas blusinhas curtas, tipo bolerinho, acho que combinou bem com a blusa. Mas andei fazendo umas blusas de viscose e tecidos mais leves e gostei de usá-las. Por isso dei uma vasculhada no estoque - nada de comprar novos, importante usar o que tem - e escolhi alguns para fazer essas peças. Cortei três blusas, todas praticamente do mesmo modelo, mas usando tecidos diferentes e alguns detalhes, cada uma parece única. Já deixou cortada porque não gosto muito dessa parte, e aos poucos vou costurando. Detalhes do andamento. O tecido é branco com escritos em azul.     Usei para a gola e as cavas, um viés bem li