Finalmente o Jacquard! E Como Blocar Tricô

Olá,

Quem acompanhou minha saga para fazer minha primeira blusa de tricô com jacquard? E foram alguns meses. Tive auxílio da minha querida professora Cris Bertolucci e da Paula Pereira, a criadora da receita.

Self com a Paula, designer da peça. Usei o fio amigurumi para tecer, 
pois tem cores lindas, e no final gotei bastante do resultado.

O pullover já estava pronto há algumas semanas, mas era preciso blocar. Você sabe o que é blocar o tricô? Eu já sabia, mas nunca havia feito. E nada mais é do que lavar a peça e deixar secar no formato certinho, numa superfície plana para não deformar.

        
Usei água e sabão neutro numa bacia. Estiquei principalmente o ombro e início das mangas, onde tem a transição do jacquard para o liso.

E para fazer isso, eu precisava de uma base de EVA para espetar os alfinetes. Demorei um pouco para encontrar - não quis pagar frete - e numa loja destas de tapetes, encontrei duas unidades de um tapetinho para banheiro de EVA. E foi com eles que fiz minha primeira blocagem.

Conversei com a Paula e li alguns blogs para fazer o meu. Usei sabão neutro - apesar da Paula recomendar amaciante bem suave - com água. Não torci, apertei um pouco para tirar o excesso de água da peça, mas mesmo assim ficou bem encharcada.

Os EVAs ficaram pequenos, mas eu deixei as mangas soltas para os lados e 
levantei a gola e abaixei o cós. Não sei se está certo, mas deu resultado.

Juntei os dois EVAs e estiquei a blusa por cima - não couberam as mangas inteiras - com a ajuda dos alfinetes, fui arrumando as mangas, o corpo e espetando com eles. Deixei secando por vários dias, já que aqui em São Paulo a semana foi bem úmida. Usei um secador de cabelos para adiantar o processo, mas mesmo assim foram uns cinco dias de espera.

             
Fotos do antes e depois. Primeira vez experimentando lá na Novelaria. Depois de blocar, as mangas e a gola ficaram mais soltas, eu gostei.

Quando secou, retirei os alfinetes e experimentei a peça, e senti a diferença. As mangas que estavam um pouco justa na transição do jacquard para o fio liso, ficaram mais folgadas, a blusa no geral se ajustou melhor ao corpo, ou seja, é importante blocar sim. E não só no tricô, no crochê também. Quando estamos tecendo a peça vai pegando outros formatos, já que a cada hora seguramos de uma forma.

Estou com as mãos nos bolsos - não sei o porquê - mas as mangas ficaram mais soltas, 
como eu queria. Sucesso a blocagem.

Ainda não estreei o meu pullover, e não vejo a hora de fazer isso. Obrigada a todos que me seguiram e acompanharam essa caminhada, o importante é não desistir!


Comentários

Postagens mais visitadas