Pular para o conteúdo principal

Banco de Madeira - Vaporização Uterina

Seguindo na minha meta de tratamentos naturais, descobri que existe no mercado um banquinho com abertura central para vaporização uterina.

Estava fazendo a minha de cócoras, mas cansa muito - preciso retomar os exercícios - e como gosto de desafios, já tenho conhecimento de projeto e marcenaria, optei por fazer o meu.

Banco pronto. Foi mais trabalhoso do que imaginei, mas 
o resultado compensou o esforço.

Usei madeiras que já tinha em casa. A grande maioria delas eu pego em caçambas e normalmente não sei qual o tipo, mas para o assento usei a pinus que sobrou das cadeiras que fiz neste curso aqui.

Fui filmando e compartilhando no instagram todo o processo. Eu já tinha feito um esboço e estava tudo indo bem, até que a serra tico tico quebrou. Tentei usar a Dremel, a furadeira, martelo e nada deu certo. Então, seguindo os ensinamentos do Murilo Gum, deixei a peça de lado por alguns dias, e sai do problema.

    
Medindo e cortando as madeiras.

O banco ficou parado por uma semana, enquanto eu pensava numa maneira de resolver. E ela surgiu! Quando a gente está no meio do "furacão" não consegue enxergar direito todas as possibilidades e a nossa primeira alternativa e desistir, abandonar tudo. Mas depois de ficar de fora, tentar entender o que houve, o problema começa a se resolver. Claro que usamos o nosso repertório, tudo aquilo que já vimos em algum momento da vida.

Testando os lugares dos pés, tudo antes de começar a cortar o tampo.


Aquela bagunça boa de quem está entretida criando...

   
A serra quebrou e para fazer o buraco central, tentei a dremel, tentei a furadeira...

... e o resultado não me agradou. Ficou bem feio, então deixei o problema de 
lado até uma nova ideia surgir.

Parti para resolver essa etapa que paralisou meu processo. Peguei novas tábuas, cortei de outra maneira para que eu pudesse fazer o buraco central sem a serra tico tico (já que ela não era opção), e assim consegui terminar.

    
Separei o tampo em duas partes, assim pude cortar na serra o buraco do meio. Não ficou redondo, mas resolveu o problema.

Ficou como projetei? Não, mas ficou bem interessante e resolveu meu problema. Gosto de inventar e testar, mesmo sem saber qual o resultado.

Este post não é de passo a passo como costumo fazer, quis mostrar como eu resolvi um problema que tive enquanto criava uma peça, e como resolvi depois de alguns dias. Espero que consiga inspirar você a não desistir nos primeiros obstáculos, todos temos nossos desafios.

Ficou um pouco mais alto do que eu gostaria - quem sabe eu ainda não corte esses pés? - e apesar de toda a mudança de planos, gostei muito de como ele ficou, e o melhor, está sendo bem útil.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presépio de Crochê

Faz alguns anos que desejo fazer um presépio de crochê para mim, e sempre penso que vou começar em janeiro, para que no final do ano ele esteja pronto. Acontece que janeiro é sempre mais agitado, depois vem carnaval e quando você percebe já acabou o ano. Meu presépio montado, estou bem feliz com o resultado. Não imaginei como esse projeto traria tanta alegria para minha casa. E neste 2019 não foi diferente, ou melhor, foi. Janeiro passou, chegou o meio do ano e nada de presépio. Mas um dia, no final de setembro decidi começar a crochetar o meu. Bastou dar os primeiros pontos para que eu tivesse disposição e assim foi. Antes mesmo de novembro terminar eu já estava com oito personagens prontos, que ao meu ver são os essenciais.             Alguns registros que fiz na execução dos três reis magos. Ontem, primeiro de dezembro montei meu presépio de crochê, usei uma base de mdf pintada (feita por mim que vai entrar na loja) para o fundo, e ficou lindo! Não imaginei como e

Presente de Aniversário - Aula Com a Lugastal

Segunda foi meu aniversário, e não consegui preparar nenhum post com antecedência - aliás isso está virando uma constante na minha vida de aspirante a blogueira. E não é porque não estou produzindo nada para compartilhar, muito pelo contrário estou numa fase super produtiva, mas não estou conseguindo me organizar para preparar os posts, aliás é preciso fotografar, passar as fotos para o computador, tratar as fotos, digitar o texto, é um trabalhinho considerável, que eu adoro, só não estou dando tanta prioridade neste momento. Um mar de Lindas! E só a minha de calça e blusa!  Algumas fotos são minhas, outras da Lu e das meninas Mas vamos o melhor dessa semana, rever minha querida amiga Lu Gastal. Quem está aqui há mais tempo sabe como eu e a Lu somos parceiras. Nos conhecemos num Patch Encontro promovido por ela em 2014 e desde então foram tantos eventos, feiras, aulas, passeios juntas. Quanta coisa boa tem acontecido comigo nos últimos tempos.              Quanto carinh

A Chita É Chique?

Para inaugurar essa nova etapa do blog, nada melhor que começar com um post bem colorido e cheio de histórias. Quem não conhece a chita, não é mesmo? Esse tecido mega colorido que era considerado de baixa qualidade, e agora começa a ganhar novos ares e novos lares também. Digo era, porque numa pesquisa rápida, descobri que tem estilista produzindo peças incríveis com ela, vem comigo. Quem me conhece um pouco mais sabe que adoro livros, e sempre dou uma olhadinha nas livrarias para conhecer as novidades. Numa destas, encontrei esse daqui: Uma Festa de Cores Memórias de um Tecido Brasileiro, que logo me chamou a atenção pelas cores. Ele conta a trajetória da chita no Brasil e como aqui se fez presente em muitos lares brasileiros. Os desenhos (ou melhor, colagens) são de Anna Gobel, com textos de Ronaldo Fraga. Não tive dúvida, comprei na hora! "Estampas falam, cores suspiram...mas só a chita canta e dança." Algumas páginas do livro, as imagens foram feitas com pedaç