Vamos Falar de Amadorismo no Artesanato?

Olá,

Há tempos que venho pensando neste assunto e se valeria a pena falar sobre ele. E decidi abrir aqui um espaço para discutirmos sobre essa questão do amadorismo no artesanato.

Desde muito nova fazia trabalho manual, encapar meus cadernos e latinhas para organizar minha mesa de estudo era rotina. Pintava quadros, fazia colagens e a grande maioria desse conhecimento foi adquirido com a minha mãe, com professoras de arte da escola e através de revistinhas infantis - que eu devorava. Nunca havia feito cursos.

O tempo passou, entrei num curso de desenho, logo depois comecei a faculdade de arquitetura, fiz curso de cenografia e há seis anos passei a prestar atenção no artesanato. E a grande diferença que percebi foi a forma que o ensino é encarado.

Livros são muito importantes para nosso aprendizado. Estes são uma pequena parcela dos meus!

Nestes anos que venho me dedicando ao aprendizado do artesanato percebi que o amadorismo é muito forte. Já cheguei a fazer aulas em lugares nos quais os professores não tinham tanto conhecimento assim, o acabamento não era bom, a administração do curso deixava a desejar. E tudo isso contribui para essa visão que muitos tem de que o feito a mão não é bom, não é bonito, não chega aos pés dos produtos industrializados.

E é por causa dessa minoria despreparada que o nosso artesanato acaba sendo considerado um trabalho ruim. Venho, junto com muita gente bacana, tentando mudar essa imagem. O artesanato pode e deve ser sim algo muito bonito e bem acabado. Basta você se dedicar, estudar, treinar muito e ter consciência da qualidade do que produz.

Aqui estou usando uma receita de bolsa do livro que ganhei recentemente. Fiz umas adaptações e saiu uma com as minhas necessidades.

O que percebo é que a pessoa aprende numa semana e na outra já está vendendo e querendo dar aulas. Não que isso seja ruim, mas para vender produtos e preciso que eles sejam bons de verdade. e isso requer tempo. Outra questão, nem todo mundo que faz coisas bonitas sabe ensinar.

Veja minha experiência. Eu queria fazer crochê e pedia para minha mãe me ensinar. Ela é professora, mas não de crochê; e não conseguia. E não é porque ela não sabe, aliás ela sabe muito, tem 50 anos de experiência, mas não soube me passar. E isso faz toda a diferença.

Faço vários desenhos e anotoções de ideias em cadernos. Acho uma prática muito boa.

Sou muito perfeccionista, e nem acho que isso seja uma qualidade. Meu trabalho de arquiteta exige que meus desenhos sejam muito bem feitos e com o máximo de informações possíveis. Imagina que um terceiro vai usar essas informações para fazer a obra acontecer. E se por acaso não estiver bem explicado/detalhado o resultado não será como planejado.

O assunto vai longe. E eu gostaria de ouvir a opinião de vocês. Vamos conversar sobre o feito a mão que é tão importante, tão rico de possibilidades, de boas energias, e sim, o artesanato pode ser item de luxo, e não algo feito de qualquer jeito.





Comentários

Postagens mais visitadas