FestA - Festival de Aprender no Sesc

Olá,

Semana passada aconteceu um evento muito bacana nos Sescs de São Paulo, o FestA - Festival de Aprender. Foram três dias de muita troca de experiência, com cursos variados, para todas as idades, e o melhor, gratuito.

Banner todo feito em tricô, um luxo só. O botton para identificação dos alunos.

Achei o site um pouco confuso, mas consegui me inscrever, no curso de Fiação de Lã com fuso, com o casal do Sítio Duas Cachoeiras. E foi tão bom!

Vários bastidores com crochê enfeitavam a fachada do Sesc Consolação. No cantinho da esquerda, em meio um mar pink estava a Sra. Galante, com seu trichô master. Lindo demais!

Este curso aconteceu no Sesc Consolação, e eu não conhecia o lugar. Cheguei e já encontrei a fachada inteira linda, com bastidores enfeitados de crochê. Chamava a atenção de longe. Quando me aproximei, encontrei a Sra. Galante fazendo o tricozão lindo, já característico do trabalho dela. O pessoal do Meio Fio também estava por lá, ensinando quem aparecesse.

Em todos os andares a Dolorez fez uma intervenção linda com o conto A Moça Tecelã e crochê.

Os cursos que precisavam de inscrição foram dentro da unidade, no Ginásio. O espaço era bem grande e foi separado para atender ao mesmo tempo várias aulas. Reencontrei pessoas queridas, fiz novas amizades, como sempre é um prazer para mim este tipo de evento.

Olha que fofura o espaço, eles trouxeram as lã em vários estágios, os pentes para cardar, os fusos de madeira e a roca.

Vamos ao curso...logo no início vimos umas fotos sobre a fazenda. Entendemos todo o processo de criação das ovelhas, como fazem a tosa, a lavagem das lã, cardam os fios... depois de prontos são tingidos naturalmente e depois tecidos na própria fazendo, um sistema que funciona e não agride a natureza, muito inspirador.

A querida Cecília mostrando duas maneiras de fiar a lã, com o fuso e com a roca.

Eles trouxeram as lãs lavadas na cachoeira, algumas cardadas e outras não, para que tentássemos fazer. Aprendemos a fiar no fuso, e na mão mesmo, enrolando num bambu. Sentei na roca e fiz o movimento dos pés apenas, só para entender o funcionamento da "máquina".

Mantas tecidas pela Cecília com as lãs das ovelhas do sítio e tingidas naturalmente com cebola e curcuma.

Foi um dia muito gostoso. A energia de quem vive numa fazenda há 30 anos é muito contagiante. conversamos sobre sustentabilidade, consciência ecológica, sobre as mudanças que estamos sofrendo e o resgate das técnicas antigas e menos poluentes. Saí de lá renovada, certa de que estou no caminho certo, sem consumismo exagerado, produzindo o que preciso, e que precisamos de muito pouco para viver.

Cardando as lãs, primeiro colocando-as no pente e depois já retirando-as prontas para fiar.


Aqui no meu colo o andamento de fiação com o fuso. Ao lado o novelinho que fiz durante a aula, ficou bem pequenininho, porque dá um trabalhão, mas adorei ter aprendido.

Quem tiver interesse, eles dão muitos cursos na fazendo, basta ficar atento as datas. Eu quero muito fazer...

Comentários

Postagens mais visitadas