Pular para o conteúdo principal

Visita - Casa Cor 30 Anos

Olá,

Como arquiteta estou sempre antenada e buscando as tendências no seguimento de interiores. E desde que comecei a reaproveitar madeiras, móveis usados passei a ver com outros olhos o projeto de arquitetura de interiores. O faça você mesmo estava presente no meu dia a dia e de muitas pessoas, mas não os via nas revistas especializadas e nem na Casa Cor.

Este ano percebi muita mudança. Ela veio devagar mas chegou para ficar. Ambientes mais descolados e integrados, com múltiplas funções estavam presentes. E para quem curte um DIY teve muita inspiração.

vídeo com alguns ambientes da mostra.

A cozinha foi meu ambiente favorito dentro do Loft do Campo, da arquiteta Paola Ribeiro. O espaço aberto, com prateleiras para dispor os utensílios e deixá-lo a mão, as caixas para organizar vinhos e os temperos, o porta pão metálico, vintage...com essa cara antiga deu um charme muito especial. Moraria aqui com certeza!


porta pão antiguinho. caixas e prateleiras de madeira com tijolos branquinhos na parede deram um charme mais que especial ao loft.

cesta com panos de prato, guardanapos e colheres, temperos em potinhos na prateleira e plantas em latas, organizadas numa caixa, ficou lindo.

A cor rosa antigo estava presente em muitos ambientes e em diversos objetos. No revestimentos de sofás, nas cerâmicas da cozinha, na colcha da cama do quarto da menina e em objetos de decoração, 

gostei muito deste sofá com revestimentos diferentes, mas combinando entre si. A mesa com o tabuleiro de xadrez estava bem moderna, mas compunha com bancos vintage, de modelos e cores diferentes.

almofadas e colcha com o rosa antigo, cinza chumbo e cru criaram um ambiente muito moderno e ao mesmo tempo vintage. Essa caixa que parece de papelão revestido com o mesmo tecido e puxadores feitos em tecido diferente são da Cecilia Nucci Ateliê, ideia muito simples e sofisticada.

Temperos plantados em vasos e suspensos por cabos fixos no teto para se ter tudo a mão na cozinha; tubos metálicos chumbados no teto são cabideiros para área de serviço, criado mudo feito com reaproveitamento de tábuas e pés antigos de outro móvel, lustre com garrafas de vidro também são ideias para quem curte o faça você mesmo.



Se sua parede não anda lá essas coisas, você pode assumir as imperfeições e fazer do descascado de tinta um item a mais na decoração da sua sala. Luminária vintage, com os sinais do tempo compôs muito bem com o ambiente mais moderno. Iluminação na cozinha e luminárias que imitam folhas foram outro destaque na mostra.


Plantas sempre são bem vindas. Essa jabuticabeira suspensa estava no Loft assinado por Nildo José e foi feita com a técnica japonesa kokedama, não sei se deu muito certo, pois o tapete embaixo dela estava todo sujo da água com barro que pingou dela...Vasos de cabeça pra baixo dentro de nichos, escada de madeira que tem inúmeras utilidades, também com suas plantinhas e uma composição de plantas e madeiras para dar graça a área externa. Gostei muito.



Irmãos Campana sempre incríveis. Amei essa poltrona cangaço, feita em parceira com Expedito Seleiro, artesão do interior do Ceará, filho do criador da sandália do Lampião, vale conhecer um pouco mais do trabalho dele. Quero na minha sala já. 


Quem quiser aproveitar, a Casa Cor fica até julho no Jockey Club em São Paulo. Se você for, me conta o que mais gostou.

Casa Cor 30 Anos
Jockey Club de São Paulo 
Av. Lineu de Paula Machado, 775
Cidade Jardim

17 de Maio a 10 de Julho de 2016
Terça à quinta das 12h às 21h
Sexta, sábado e feriados das 12h às 21h30
Domingo das 12h às 20h



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presépio de Crochê

Faz alguns anos que desejo fazer um presépio de crochê para mim, e sempre penso que vou começar em janeiro, para que no final do ano ele esteja pronto. Acontece que janeiro é sempre mais agitado, depois vem carnaval e quando você percebe já acabou o ano. Meu presépio montado, estou bem feliz com o resultado. Não imaginei como esse projeto traria tanta alegria para minha casa. E neste 2019 não foi diferente, ou melhor, foi. Janeiro passou, chegou o meio do ano e nada de presépio. Mas um dia, no final de setembro decidi começar a crochetar o meu. Bastou dar os primeiros pontos para que eu tivesse disposição e assim foi. Antes mesmo de novembro terminar eu já estava com oito personagens prontos, que ao meu ver são os essenciais.             Alguns registros que fiz na execução dos três reis magos. Ontem, primeiro de dezembro montei meu presépio de crochê, usei uma base de mdf pintada (feita por mim que vai entrar na loja) para o fundo, e ficou lindo! Não imaginei como e

Presente de Aniversário - Aula Com a Lugastal

Segunda foi meu aniversário, e não consegui preparar nenhum post com antecedência - aliás isso está virando uma constante na minha vida de aspirante a blogueira. E não é porque não estou produzindo nada para compartilhar, muito pelo contrário estou numa fase super produtiva, mas não estou conseguindo me organizar para preparar os posts, aliás é preciso fotografar, passar as fotos para o computador, tratar as fotos, digitar o texto, é um trabalhinho considerável, que eu adoro, só não estou dando tanta prioridade neste momento. Um mar de Lindas! E só a minha de calça e blusa!  Algumas fotos são minhas, outras da Lu e das meninas Mas vamos o melhor dessa semana, rever minha querida amiga Lu Gastal. Quem está aqui há mais tempo sabe como eu e a Lu somos parceiras. Nos conhecemos num Patch Encontro promovido por ela em 2014 e desde então foram tantos eventos, feiras, aulas, passeios juntas. Quanta coisa boa tem acontecido comigo nos últimos tempos.              Quanto carinh

A Chita É Chique?

Para inaugurar essa nova etapa do blog, nada melhor que começar com um post bem colorido e cheio de histórias. Quem não conhece a chita, não é mesmo? Esse tecido mega colorido que era considerado de baixa qualidade, e agora começa a ganhar novos ares e novos lares também. Digo era, porque numa pesquisa rápida, descobri que tem estilista produzindo peças incríveis com ela, vem comigo. Quem me conhece um pouco mais sabe que adoro livros, e sempre dou uma olhadinha nas livrarias para conhecer as novidades. Numa destas, encontrei esse daqui: Uma Festa de Cores Memórias de um Tecido Brasileiro, que logo me chamou a atenção pelas cores. Ele conta a trajetória da chita no Brasil e como aqui se fez presente em muitos lares brasileiros. Os desenhos (ou melhor, colagens) são de Anna Gobel, com textos de Ronaldo Fraga. Não tive dúvida, comprei na hora! "Estampas falam, cores suspiram...mas só a chita canta e dança." Algumas páginas do livro, as imagens foram feitas com pedaç