Pular para o conteúdo principal

Entendendo as Tintas - Acrílica, Esmalte, Látex, Epóxi...

Já precisou escolher tinta para pintar sua casa?

Se você achava que a maior dificuldade era a escolha da cor pelas inúmeras possibilidades, se enganou. Hoje em dia além das tintas específicas para parede, madeira, metal, existem as que são mais foscas, as com mais brilho, as que ficam no meio termo, as que duram mais, as que não respingam, as que não precisam de diluição e assim vai...

Depois de escolher a cor - e hoje não vou entrar neste assunto, fica para o próximo post - você precisa saber que ambiente vai pintar. 

 
Banheiro e lavabo com pintura esmalte epóxi multisuperfícies a base de água. As paredes, teto e janelas receberam a mesma tinta, e isso facilita muito pois não é preciso proteger/isolar dos respingos. A foto não favorece muito, mas a tinta é acetinada, tem um leve brilho, e eu uso apenas em banheiros e cozinhas, onde normalmente as paredes tem azulejo e por isso são mais "brilhantes".

Para os tetos existe a tinta antimofo, e essa é a ideal para comerçarmos a eliminar os ambientes. As portas e janelas. sendo de madeira ou metal, a tinta correta é a esmalte, que pode ser a base de água ou de solvente. Ela é resistente a úmidade e pode ser limpa com mais frequência. 

Piso também pode receber pintura, inclusive garagens e quadras poliesportivas. Para ele usamos a tinta epóxi, usada principalmente pela indústria, por dar um bom acabamento e ser muito resistente a intemperies. Encontramos tinta esmalte epóxi, o que muda são os componentes, normalmente usados em área externa.

 
Neste exemplo o batente da porta e a janela receberam a tinta esmalte a base de solvente, e foram aplicadas com pistola ou seja, o acabamento é melhor pois não ficam marcas de pincel.

Se você não gosta dos azulejos de sua cozinha e banheiro, a dica é usar a tinta multisuperfícies sobre eles. Ela tem um bom acabamento, cobre os "desenhos" mas não o rejunte. Com certeza é uma solução bem mais barata e prática. Aproveite que está usando essa tinta e aplique no teto e nas paredes onde não tem azulejos, se quiser facilitar ainda mais, pinte a janela e porta, essa tinta tem um acetinado leve, nada fosco, mas fica super bem nestes ambientes.

Uma amostra da tinta usada na porta e janela, só que na madeira. 
Ela tem um leve brilho.

Látex e a tinta mais comum que usamos em paredes de alvenaria, mas que vem sendo substituída pela tinta acrílica, que é muito mais resistente. Dê preferência a ela, a qualidade da pintura é muito melhor.

Encontramos praticamente todas as tintas em versão mais fosca, acetinada e semi brilho. Vai de acordo com o seu gosto. Tinta semi brilho em paredes destaca as imperfeições, a menos que você tenha uma lisinha, neste caso vai ficar bom. 

O acabamento acetinado, ou seja, com um leve brilho é ideal para dar uma disfarçada naquela parede que não está totalmente lisa. É fácil de limpar e se você está em dúvida, acho que pode investir nela.

Já o fosco é mais aveludado, esconde muito bem as irregularidades, mas não é tão simples de limpar.

Existem as tintas prontas que não precisam de diluição, são mais caras e prometem um acabamento melhor com apenas uma demão, secam rápido e não respingam. Se você quer pintar uma parede, dar um detalhe na sua casa, pode investir nelas, pois são mais práticas e não fazem tanta sujeira.

Talvez você não saiba, mas as demais tintas, sendo a base de água ou de solvente, devem ser diluídas de acordo com as especificações do fabricante. Siga corretamente para ter o melhor aproveitamento delas.]

Espero ter esclarecido um pouco mais sobre esse mundo maravilhoso da pintura da casa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presépio de Crochê

Faz alguns anos que desejo fazer um presépio de crochê para mim, e sempre penso que vou começar em janeiro, para que no final do ano ele esteja pronto. Acontece que janeiro é sempre mais agitado, depois vem carnaval e quando você percebe já acabou o ano. Meu presépio montado, estou bem feliz com o resultado. Não imaginei como esse projeto traria tanta alegria para minha casa. E neste 2019 não foi diferente, ou melhor, foi. Janeiro passou, chegou o meio do ano e nada de presépio. Mas um dia, no final de setembro decidi começar a crochetar o meu. Bastou dar os primeiros pontos para que eu tivesse disposição e assim foi. Antes mesmo de novembro terminar eu já estava com oito personagens prontos, que ao meu ver são os essenciais.             Alguns registros que fiz na execução dos três reis magos. Ontem, primeiro de dezembro montei meu presépio de crochê, usei uma base de mdf pintada (feita por mim que vai entrar na loja) para o fundo, e ficou lindo! Não imaginei como e

Presente de Aniversário - Aula Com a Lugastal

Segunda foi meu aniversário, e não consegui preparar nenhum post com antecedência - aliás isso está virando uma constante na minha vida de aspirante a blogueira. E não é porque não estou produzindo nada para compartilhar, muito pelo contrário estou numa fase super produtiva, mas não estou conseguindo me organizar para preparar os posts, aliás é preciso fotografar, passar as fotos para o computador, tratar as fotos, digitar o texto, é um trabalhinho considerável, que eu adoro, só não estou dando tanta prioridade neste momento. Um mar de Lindas! E só a minha de calça e blusa!  Algumas fotos são minhas, outras da Lu e das meninas Mas vamos o melhor dessa semana, rever minha querida amiga Lu Gastal. Quem está aqui há mais tempo sabe como eu e a Lu somos parceiras. Nos conhecemos num Patch Encontro promovido por ela em 2014 e desde então foram tantos eventos, feiras, aulas, passeios juntas. Quanta coisa boa tem acontecido comigo nos últimos tempos.              Quanto carinh

A Chita É Chique?

Para inaugurar essa nova etapa do blog, nada melhor que começar com um post bem colorido e cheio de histórias. Quem não conhece a chita, não é mesmo? Esse tecido mega colorido que era considerado de baixa qualidade, e agora começa a ganhar novos ares e novos lares também. Digo era, porque numa pesquisa rápida, descobri que tem estilista produzindo peças incríveis com ela, vem comigo. Quem me conhece um pouco mais sabe que adoro livros, e sempre dou uma olhadinha nas livrarias para conhecer as novidades. Numa destas, encontrei esse daqui: Uma Festa de Cores Memórias de um Tecido Brasileiro, que logo me chamou a atenção pelas cores. Ele conta a trajetória da chita no Brasil e como aqui se fez presente em muitos lares brasileiros. Os desenhos (ou melhor, colagens) são de Anna Gobel, com textos de Ronaldo Fraga. Não tive dúvida, comprei na hora! "Estampas falam, cores suspiram...mas só a chita canta e dança." Algumas páginas do livro, as imagens foram feitas com pedaç