Pular para o conteúdo principal

Cultivo Afetivo - Oficina de Temperos

Olá,

Há algum tempo tenho me interessado em cultivar temperos em casa. Nunca fui cozinheira, nem faço isso com frequência, mas acho importante aprender a usar ervas e temperos nos pratos para deixá-los mais gostosos e perfumados.

Alecrim no vaso marrom, ao lado a horta que fiz no curso, depois a hortelã e por fim minha lavanda...

O primeiro passo dado foi a vinda do vaso de hortelã da casa do meu irmão para cá. Estava tão linda, enorme e eles utilizavam pouco. Todos os dias eu via aquela planta linda e cheirosa crescendo e quis ter mais, muito mais. Comprei manjericão, alecrim e a lavanda. Sou apaixonada pela plantação de lavanda. Mas o manjericão morreu. Comprei novamente outra muda e o mesmo aconteceu. Decidi então que era preciso estudar mais a respeito, e dia destes achei uma oficina da querida Marina, do Da Horta. Seria sábado de manhã, dia a inauguração do novo espaço dela. E foi muito gostoso.

Fachada da casinha. O espaço é tão bonitinho, amei tudo. Este dia era da inauguração do espaço, e estava sem energia elétrica : ( e não consegui fotografar dentro, mas tem plantas, bijus, necessaires expostas para venda. Tudo de muito bom gosto!

A casa nova fica numa vila em Pinheiros, bem pertinho do metrô Faria Lima. E é claro que como cheguei cedo, fui até o Sesc Pinheiros tomar um super café da manhã. Comentei no meu instagram como eu gosto da Comedoria dela. O espaço é tão bonito, aconchegante e a comida muito boa. Vale conhecer. Eu gosto muito dos Sescs daqui de São Paulo, o Pinheiros e o Pompéia com certeza estão na minha lista de lugares favoritos!

Chegando na vila, encontrei uma casa muito linda, tipo casa de vó, sabe? O piso era de cacos vermelhos, muito tradicional na minha infância. Já gostei. Dentro muitas plantas, objetos de decor e bijus. Além Da Horta, outras pessoas são parceiras dela.

Bom, chega de papo e vamos a oficina. Primeiro a Marina deu uma explicação geral sobre o trabalho dela. Começamos a por a mão na massa, ou melhor na terra e foi bem divertido. Escolhemos nossos temperos e bora plantar. Fiquei atenta aos detalhes para que minha horta sobreviva depois do curso, rs, nunca se sabe não é mesmo.

As mudas de plantas todas acomodadas nas caixas de feira. Abaixo meu vaso, já com as camadas de terra, adubo, manta... e as mudas escolhidas por mim, ao lado literalmente com a mão na massa, ou melhor na terra. E por último as hortas das colegas de oficina.

Eu escolhi pimenta, manjericão (não desisto, quero muito!) e orégano. Trouxemos para casa, além da horta, um kit com borrifador, pá e adubo para alimentar nossas plantas a cada mês. Tudo veio numa sacolinha linda de feira.

Pimenta, manjericão e orégano foram os temperos escolhidos por mim para esta oficina. Ao lado o kit fofo que ganhamos, tem sacolinha de feira, borrifador, pá e adubo. Tudo muito caprichado.

A Marina é muito simpática e disse que qualquer problema podemos entrar em contato com ela. Com este suporte, pretendo manter minha horta feliz por muito tempo. Por enquanto ela continua linda e bem perfumada. Logo mais vou colher minhas primeiras pimentas. Nunca me imaginei cultivando temperos ou qualquer outro tipo de planta, e ainda bem que mudamos de ideia e experimentamos coisas novas.

Quem se animou? Bora lá fazer uma hortinha na varanda? Tenho certeza que você vai se sentir bem em ter esse momento só seu.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presépio de Crochê

Faz alguns anos que desejo fazer um presépio de crochê para mim, e sempre penso que vou começar em janeiro, para que no final do ano ele esteja pronto. Acontece que janeiro é sempre mais agitado, depois vem carnaval e quando você percebe já acabou o ano. Meu presépio montado, estou bem feliz com o resultado. Não imaginei como esse projeto traria tanta alegria para minha casa. E neste 2019 não foi diferente, ou melhor, foi. Janeiro passou, chegou o meio do ano e nada de presépio. Mas um dia, no final de setembro decidi começar a crochetar o meu. Bastou dar os primeiros pontos para que eu tivesse disposição e assim foi. Antes mesmo de novembro terminar eu já estava com oito personagens prontos, que ao meu ver são os essenciais.             Alguns registros que fiz na execução dos três reis magos. Ontem, primeiro de dezembro montei meu presépio de crochê, usei uma base de mdf pintada (feita por mim que vai entrar na loja) para o fundo, e ficou lindo! Não imaginei como e

Presente de Aniversário - Aula Com a Lugastal

Segunda foi meu aniversário, e não consegui preparar nenhum post com antecedência - aliás isso está virando uma constante na minha vida de aspirante a blogueira. E não é porque não estou produzindo nada para compartilhar, muito pelo contrário estou numa fase super produtiva, mas não estou conseguindo me organizar para preparar os posts, aliás é preciso fotografar, passar as fotos para o computador, tratar as fotos, digitar o texto, é um trabalhinho considerável, que eu adoro, só não estou dando tanta prioridade neste momento. Um mar de Lindas! E só a minha de calça e blusa!  Algumas fotos são minhas, outras da Lu e das meninas Mas vamos o melhor dessa semana, rever minha querida amiga Lu Gastal. Quem está aqui há mais tempo sabe como eu e a Lu somos parceiras. Nos conhecemos num Patch Encontro promovido por ela em 2014 e desde então foram tantos eventos, feiras, aulas, passeios juntas. Quanta coisa boa tem acontecido comigo nos últimos tempos.              Quanto carinh

A Chita É Chique?

Para inaugurar essa nova etapa do blog, nada melhor que começar com um post bem colorido e cheio de histórias. Quem não conhece a chita, não é mesmo? Esse tecido mega colorido que era considerado de baixa qualidade, e agora começa a ganhar novos ares e novos lares também. Digo era, porque numa pesquisa rápida, descobri que tem estilista produzindo peças incríveis com ela, vem comigo. Quem me conhece um pouco mais sabe que adoro livros, e sempre dou uma olhadinha nas livrarias para conhecer as novidades. Numa destas, encontrei esse daqui: Uma Festa de Cores Memórias de um Tecido Brasileiro, que logo me chamou a atenção pelas cores. Ele conta a trajetória da chita no Brasil e como aqui se fez presente em muitos lares brasileiros. Os desenhos (ou melhor, colagens) são de Anna Gobel, com textos de Ronaldo Fraga. Não tive dúvida, comprei na hora! "Estampas falam, cores suspiram...mas só a chita canta e dança." Algumas páginas do livro, as imagens foram feitas com pedaç