Pular para o conteúdo principal

Três Anos de Blog e Escolha do Nome

Ontem, dia 17 de janeiro fez 3 anos que o blog entrou no ar, (em julho eu comemoro o meu início na costura) e desde então tanta coisa mudou. Primeiro e mais importante de tudo foi o nome, o que antes era Eu Mesma Fiz, deu lugar ao Arthé Criações. E porque desta mudança. Bom, senta que lá vem a história...

Dia de festa é assim bolo de chocolate com chá. Tudo bem arrumadinho para comemorar!

O Eu Mesma Fiz surgiu para eu compartilhar com minha família e amigos meus primeiros passos na costura. Eu jamais imaginei que pudesse costurar qualquer coisa na vida, e isso é muito sério. Quantas vezes deixamos de fazer algo por simplesmente acharmos que não somos capazes e que não tem nada a ver com a gente. Pois é, agradeço sempre por ter tido esse insight de pedir a minha mãe para me ensinar a pregar um zíper, fazer uma barra...mal sabia o quanto isso mudaria a minha vida. O quão libertador é costurar! Contei um pouco deste período aqui.

O tempo passou, fiz vários cursos de costura, ganhei uma máquina de presente (até então usava a da minha mãe) e agora eu podia dizer que sabia costurar. E enquanto essa mudança acontecia, resgatei o meu interesse pelos trabalhos manuais. Antes mesmo de fazer faculdade eu já gostava de desenhos, de lidar com papel, e fiz muita coisa...pena que não havia internet naquela época. Encapava meus cadernos, caixas vazias, fazia quadros, pintava molduras...quantas lembranças...fazia os enfeites de natal (esta parte eu contei aqui) e por isso achei que o blog passaria por uma mudança. Não apenas no nome, mas no conteúdo também. Não posto só as coisas que fiz, mas tem um pouco de cultura, arquitetura, culinária, cursos, e muitos outros tipos de artesanato.

E agora, qual nome escolher? Se você já se fez essa pergunta sabe o quanto é difícil respondê-la. Pesquisei muito, e achei um post bacana da Dani do Lilou Estúdio, explicando como ela fez para escolher o nome da marca dela (o blog está fora do ar, que pena!). E então passei a escrever num caderninho as coisas que gostava, traduzia algumas para outros idiomas, juntava com meu nome, minha iniciais...e fiquei assim por uns dias. Pensei em muita coisa, procurei na internet para ver se não havia ninguém com este mesmo nome e depois de testar optei por ARTHÉ. Bom, o AR é de Andréa Risério, de ARquitetura (minha profissão), de ARte que eu gosto muito. E o THÉ, bem, ele representa muitas coisas...meu apelido de infância é Teté, e muitos familiares ainda hoje me chamam de Té. Mas eu também sou muito fã de chá, e em francês escreve-se Thé (mas lê-se Thê) e em italiano escreve-se Tè. Juntei a grafia de um com a sonoridade do outro e para facilitar, porque nome tem que ser simples, ficou Arthé, com acento agudo no E.

O nome ficou definido com Arthé mas precisava de algo mais. Pensei em estúdio, em arte, design e no final foi o Criações que ganhou meu coração. Nesta hora tem que falar o nome em voz alta e sentir se te toca, se você gosta, se isso não aconteceu, acho melhor esperar um pouco mais e tentar encontrar um novo nome. Comigo deu super certo, depois de tanto escolher, a Arthé Criações surgiu e o resto da história vocês já sabem.

Para comemorar, essa semana terá post todos os dias. Sim, é verdade! Tem muita gente nova por aqui e optei em resgatar algumas criações antigas para vocês conhecerem e/ou relembrarem. Ah e na quinta o post será novinho, como de costume.

Quem ficou com vontade de experimentar, o bolo é receita da Dani Noce do ICKFD, chama-se Nega Maluca. Fez sucesso danado por aqui!

Aproveita para me acompanhar nas redes sociais:

instagram https://www.instagram.com/andreariserio/
facebook  https://www.facebook.com/arthecria/
pinterest https://br.pinterest.com/andreariserio/
snapchat https://www.snapchat.com//andreariserio
twitter https://twitter.com/DeRiserio
youtube (basta colocar andrea riserio na busca que o canal aparece)
google+  https://plus.google.com/111229163845294024140




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presépio de Crochê

Faz alguns anos que desejo fazer um presépio de crochê para mim, e sempre penso que vou começar em janeiro, para que no final do ano ele esteja pronto. Acontece que janeiro é sempre mais agitado, depois vem carnaval e quando você percebe já acabou o ano. Meu presépio montado, estou bem feliz com o resultado. Não imaginei como esse projeto traria tanta alegria para minha casa. E neste 2019 não foi diferente, ou melhor, foi. Janeiro passou, chegou o meio do ano e nada de presépio. Mas um dia, no final de setembro decidi começar a crochetar o meu. Bastou dar os primeiros pontos para que eu tivesse disposição e assim foi. Antes mesmo de novembro terminar eu já estava com oito personagens prontos, que ao meu ver são os essenciais.             Alguns registros que fiz na execução dos três reis magos. Ontem, primeiro de dezembro montei meu presépio de crochê, usei uma base de mdf pintada (feita por mim que vai entrar na loja) para o fundo, e ficou lindo! Não imaginei como e

Presente de Aniversário - Aula Com a Lugastal

Segunda foi meu aniversário, e não consegui preparar nenhum post com antecedência - aliás isso está virando uma constante na minha vida de aspirante a blogueira. E não é porque não estou produzindo nada para compartilhar, muito pelo contrário estou numa fase super produtiva, mas não estou conseguindo me organizar para preparar os posts, aliás é preciso fotografar, passar as fotos para o computador, tratar as fotos, digitar o texto, é um trabalhinho considerável, que eu adoro, só não estou dando tanta prioridade neste momento. Um mar de Lindas! E só a minha de calça e blusa!  Algumas fotos são minhas, outras da Lu e das meninas Mas vamos o melhor dessa semana, rever minha querida amiga Lu Gastal. Quem está aqui há mais tempo sabe como eu e a Lu somos parceiras. Nos conhecemos num Patch Encontro promovido por ela em 2014 e desde então foram tantos eventos, feiras, aulas, passeios juntas. Quanta coisa boa tem acontecido comigo nos últimos tempos.              Quanto carinh

A Chita É Chique?

Para inaugurar essa nova etapa do blog, nada melhor que começar com um post bem colorido e cheio de histórias. Quem não conhece a chita, não é mesmo? Esse tecido mega colorido que era considerado de baixa qualidade, e agora começa a ganhar novos ares e novos lares também. Digo era, porque numa pesquisa rápida, descobri que tem estilista produzindo peças incríveis com ela, vem comigo. Quem me conhece um pouco mais sabe que adoro livros, e sempre dou uma olhadinha nas livrarias para conhecer as novidades. Numa destas, encontrei esse daqui: Uma Festa de Cores Memórias de um Tecido Brasileiro, que logo me chamou a atenção pelas cores. Ele conta a trajetória da chita no Brasil e como aqui se fez presente em muitos lares brasileiros. Os desenhos (ou melhor, colagens) são de Anna Gobel, com textos de Ronaldo Fraga. Não tive dúvida, comprei na hora! "Estampas falam, cores suspiram...mas só a chita canta e dança." Algumas páginas do livro, as imagens foram feitas com pedaç