Nuno e Arqueologia do Futuro - Exposições Imperdíveis - Japan House

São Paulo é uma cidade com muitas atividades culturais, basta ficar atento às boas opções, e apesar de nem sempre conseguir visitar todas - perdi a exposição da Tarsila no Masp - procuro conciliar com as minhas atividades, e sempre que posso vou conferir alguma.

Há poucos dias inaugurou uma bem legal na Japan House, que eu estava de olho, e decidi ir logo, para não perder a data ou chegar no fim e ficar lotada.


Tecidos dispostos por uma espécie de varal, com as 
informações no chão, tudo bem leve e clean.

Nuno (tecido em japonês) é uma empresa têxtil, com mais de 30 anos atuando no mercado japonês e uma das grandes referências de design contemporâneo. Apesar de utilizar tecnologias de ponta e novos materiais, ainda trabalha em colaboração com tecelões regionais e pequenas indústrias locais, fazendo de sua empresa um grande laboratório de experimentos têxteis da atualidade.

   

   
São muitos e um mais lindo que o outro. Selecionei alguns para ilustrar.

Estavam expostos diversos tecidos, numa leveza impressionante. As informações de cada um era descrita no chão, de forma muito harmoniosa. A parede com várias amostras disponíveis para que pudéssemos tocar, sentir os tecidos, foi muito interessante. Sabe que a gente não se contenta em ver apenas com os olhos, queremos tocar, e por isso achei muito legal a iniciativa.

Esse painel tá incrível.

Gostei bastante do enorme painel, estilo mood board com processos e materiais utilizados na criação/fabricação dos tecidos, fiquei por um bom tempo ali. Outro ponto alto da exposição foi a sequência de vídeos das indústrias têxteis mostrando seu dia a dia, como os tecidos são feitos, todo o processo de fabricação, até chegar a loja para venda. São vídeos curtos mas muito interessantes.


   
Uma das melhores partes foi poder tocar os tecidos.

Vídeos para complementar as informações. Eu nunca assistia, mas passei a dar mais atenção
 a eles nas exposições. Sempre tem informações relevantes.

   

   

   
Mais um pouco de cores e texturas. A exposição está muito linda.

No segundo andar, a exposição Arqueologia do Futuro - Memória & Visão, foi uma grata surpresa. Não esperava e me deparei com um espaço intrigante, com fotos, maquetes, estudos, experimentos, tudo bem diferente - ou não - do que eu como arquiteta, já tinha visto. Infelizmente não pode fotografar, mas já adianto que é até melhor, pois assim você absorve a experiência por completo.

A única parte que foi possível fotografar. Selecionaram alguns objetos encontrados
 em São Paulo neste ano, para serem guardados para o futuro.

Trata-se do arquiteto japonês Tsuyoshi Tane, que antes de fazer o projeto/reforma, estuda a região, o passado do lugar, faz escavações... para assim construir/projetar, levando em consideração as memórias do lugar.

Realmente me impactou. Não sei se pelo fato de ser arquiteta, mas achei muito interessante mesmo. E já quero voltar para olhar com mais calma. São muitas informações.

Está imperdível essa visita a Japan House.
Nuno - até 27 de outubro
Arqueologia do Futuro - até 13 de outubro

Entrada gratuita de terça a domingo.

Comentários

Postagens mais visitadas