O Que Andei Crochetando - Tapete de Restos de Fio de Malha

Estou tentando não acumular material de artesanato. Para isso tenho comprado somente o que vou usar e me desfazendo e/ou usando os que já tenho.

Foco para não cair... adorando meu tapetinho novo.

Fio de malha reciclado teve seus momentos de glória e eu comprei alguns novelos. Mas o material é difícil usar, apesar de ser resíduo - o que é um ponto positivo - apresenta num mesmo novelo, várias espessuras de fio, é pesado, alguns são de algodão, outros de material mais elástico, as cores são únicas, ou seja, não existe uniformidade. E já há algum tempo não tenho comprado mais.

Usei somente ponto alto para render o trabalho, quem nunca?

Comecei há alguns anos a fazer uma capa de puff com as sobras dos cones. E eu já sabia que seria um projeto longo, pois quase não uso este material. Mas a capa está quase pronta, só falta mesmo colocar o pneu dentro e fechar.

Os fios tinham espessuras diferentes, por isso alguns ficaram mais finos, mas a ideia era usar o que tinha em casa.

E mesmo assim ainda sobraram alguns novelos. O que fazer com eles? Eram poucos, de cores variadas, e pensei num tapete comprido, para usar como se fosse aquele de ioga, que no meu caso usaria para alongamento.

Arrematando, uma parte importante e não tão legal de fazer.

Comecei fazendo com tricô, mas ficou pesado demais. O crochê é mais indicado e fui fazendo aos poucos, nos intervalos entre um projeto, uma costura, uma aula. Ficou pronto no domingo, e na segunda arrematei os fios.

Ficou bem colorido, e confortável para deitar, pois o fio de malha é mais grosso e permite um conforto a mais. Agora já tenho meu tapete para me incentivar a fazer exercícios em casa - não sou muito adepta de academia, mas é preciso. 

 

 

Você tem se exercitado com frequência?

Comentários

Postagens mais visitadas