Pular para o conteúdo principal

Vivência Criativa - A Primeira Turma Durante a Quarentena

Há mais de um ano venho maturando fazer um curso de criatividade. Fiz os primeiros esboços, escrevi textos, pensei na ordem dos exercícios, li muito a respeito, busquei na minha memória - no meu repertório - informações relevantes e decidi que 2020 seria o ano de colocar o projeto no mundo!

Apesar de ter tudo formulado na minha mente era preciso testar. Conferir o tempo de cada tarefa, se a ordem pré definida por mim era realmente a melhor, entender se o conteúdo era relevante e seu eu estava conseguindo passar tudo o que pretendia. Por isso convidei duas amigas para testarem comigo a Vivência Criativa.

Uma curiosidade: o nome quem deu foi a Flávia Duprat. Seria usado num curso que estávamos planejando fazer na Casa dos Saberes, e eu gostei tanto que peguei para mim, sem pedir permissão...hahaha,, mas meu muito obrigada Flá, por tudo.

Conseguimos encaixar um dia na semana, e dia 24 de fevereiro aconteceu a minha tão sonhada aula. Produzi material, organizei os horários e no final de 3 horas o resultado foi muito positivo. Sou aluna e já dei aulas algumas vezes, cada turma tem suas peculiaridades, e as meninas foram incríveis. Sai animada e com material para dar início as aulas abertas ao público.

Um pouco antes dessa pandemia começar - já se ouvia falar de como estavam as coisas na China e na Europa, mas parecia tudo muito distante da gente - pensei que poderia criar uma versão on line do curso. E foi o que fiz. As aulas não seriam gravadas e editadas, pensei em algo mais intimista como se as pessoas estivessem conversando comigo. E assim surgiu a Vivência Criativa Arthé num perfil exclusivo do instagram. A ideia inicial era que ao longo de 10 dias as tarefas fossem passadas e as pessoas executassem no conforto do seu lar, e depois compartilhassem as experiências nos posts, para que todos os alunos pudessem ler e debater.

E assim aconteceu! Antecipei em alguns dias o início do curso. Estávamos entrando em quarentena aqui em São Paulo, o clima de insegurança atingia todo mundo. Achei que seria uma boa hora para ajudar a aliviar as tensões.

E conforme fui passando as tarefas, percebia que muitas não estavam conseguindo acompanhar, então dei uns dois dias de intervalo entre cada uma das tarefas, o que fez com que o curso avançasse para quase um mês.


O resultado foi positivo. De tempos em tempos eu recebia o feedback das tarefas, fui acompanhando a evolução das meninas, mas entendo que a próxima turma será de 10 dias corridos, assim o curso não se estenderá tanto.

Acredito que o fato de estarmos vivendo algo novo e sem precedentes na nossa história moderna tenha tornado a experiência diferente. O grupo foi criado e vai permanecer por um tempo, ainda não sei quanto, pois nem todas as meninas terminaram os exercícios. Acredito que quando se tem uma data limite, a gente se esforça para finalizar, é o tal do prazo apertado que faz muita gente deixar de procrastinar. E, neste caso, em específico a quarentena mudou a rotina de muitos, são filhos estudando em casa, trabalho em homeoffice, cozinhar, limpar, organizar e ainda por cima se preocupar com a situação da nossa saúde e política, não tem sido fácil.

A nova turma vem por ai. Estou organizando a melhor data e espero contribuir com um material criativo, que deverá ser usado para o pós pandemia. Precisaremos nos reinventar, nos motivar para continuar a vida, que com certeza será diferente...já está sendo.







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presépio de Crochê

Faz alguns anos que desejo fazer um presépio de crochê para mim, e sempre penso que vou começar em janeiro, para que no final do ano ele esteja pronto. Acontece que janeiro é sempre mais agitado, depois vem carnaval e quando você percebe já acabou o ano. Meu presépio montado, estou bem feliz com o resultado. Não imaginei como esse projeto traria tanta alegria para minha casa. E neste 2019 não foi diferente, ou melhor, foi. Janeiro passou, chegou o meio do ano e nada de presépio. Mas um dia, no final de setembro decidi começar a crochetar o meu. Bastou dar os primeiros pontos para que eu tivesse disposição e assim foi. Antes mesmo de novembro terminar eu já estava com oito personagens prontos, que ao meu ver são os essenciais.             Alguns registros que fiz na execução dos três reis magos. Ontem, primeiro de dezembro montei meu presépio de crochê, usei uma base de mdf pintada (feita por mim que vai entrar na loja) para o fundo, e ficou lindo! Não imaginei como e

Presente de Aniversário - Aula Com a Lugastal

Segunda foi meu aniversário, e não consegui preparar nenhum post com antecedência - aliás isso está virando uma constante na minha vida de aspirante a blogueira. E não é porque não estou produzindo nada para compartilhar, muito pelo contrário estou numa fase super produtiva, mas não estou conseguindo me organizar para preparar os posts, aliás é preciso fotografar, passar as fotos para o computador, tratar as fotos, digitar o texto, é um trabalhinho considerável, que eu adoro, só não estou dando tanta prioridade neste momento. Um mar de Lindas! E só a minha de calça e blusa!  Algumas fotos são minhas, outras da Lu e das meninas Mas vamos o melhor dessa semana, rever minha querida amiga Lu Gastal. Quem está aqui há mais tempo sabe como eu e a Lu somos parceiras. Nos conhecemos num Patch Encontro promovido por ela em 2014 e desde então foram tantos eventos, feiras, aulas, passeios juntas. Quanta coisa boa tem acontecido comigo nos últimos tempos.              Quanto carinh

A Chita É Chique?

Para inaugurar essa nova etapa do blog, nada melhor que começar com um post bem colorido e cheio de histórias. Quem não conhece a chita, não é mesmo? Esse tecido mega colorido que era considerado de baixa qualidade, e agora começa a ganhar novos ares e novos lares também. Digo era, porque numa pesquisa rápida, descobri que tem estilista produzindo peças incríveis com ela, vem comigo. Quem me conhece um pouco mais sabe que adoro livros, e sempre dou uma olhadinha nas livrarias para conhecer as novidades. Numa destas, encontrei esse daqui: Uma Festa de Cores Memórias de um Tecido Brasileiro, que logo me chamou a atenção pelas cores. Ele conta a trajetória da chita no Brasil e como aqui se fez presente em muitos lares brasileiros. Os desenhos (ou melhor, colagens) são de Anna Gobel, com textos de Ronaldo Fraga. Não tive dúvida, comprei na hora! "Estampas falam, cores suspiram...mas só a chita canta e dança." Algumas páginas do livro, as imagens foram feitas com pedaç