Regata de Tricô - Muitos Aprendizados Num Único Projeto

Dentre as inúmeras coisas que fiz ano passado, uma regata de tricô branca seria a peça handmade para a virada do ano. Normalmente costuro alguma coisa para usar nas festas de natal e ano novo.

Essa blusa deu trabalho! Mas ficou linda!

Quando a Pingouin lançou vários fios inspirados em mulheres, tive vontade de experimentar o Tomie, pois continha bambu na composição. Primeiro veio o fio, depois o projeto. A ideia inicial era fazer uma blusa listrada de branco e azul marinho, nada muito sofisticado, eu mesma iria fazer a receita com o conhecimento que tenho em topdown.

Usei quase dois novelos para fazer o tamanho P, sobrou bem pouco.
 
Diário têxtil, amostras e receita.

Mas dando aquela olhada nas redes sociais, achei um projeto que me agradou muito. Além de ser para o calor - e ideia era fazer um tricô para o verão - era com decote V, o meu favorito. A receita é da Two Of Wands, é grátis e em inglês. Como já teci poucas peças assim, achei que seria importante para treinar e aprimorar meus conhecimentos. No crochê estou bem acostumada a seguir receitas em inglês e não tenho problemas.

Fiz duas amostras com agulhas diferentes para escolher o melhor caimento. 
É bem importante essa etapa.

Baixei a receita, traduzi alguns trechos e dei início aos trabalhos. Fiz duas amostras para encontrar o melhor caimento para a peça, fiz os cálculos do tamanho e comecei.

Logo no início já tive problemas. Não conseguia avançar, desmanchei algumas vezes e cheguei a pedir ajuda para a Cris, minha amiga tricoteira na tradução. Mas o problema não era esse. Não era o inglês. Eu não conhecia as abreviações dos pontos e nem a forma de fazê-los. Precisei pesquisar muito no youtube. E mesmo assim desmanchei.


 
Em vários momentos. Foram tantas fotos,
 registros de um tal de desmancha e refaz...

Foram muitas tentativas. Parei com a frente e comecei as costas para dar uma liberada na tensão. Aquilo já estava me deixando mais irritada do que tranquila. E aos poucos fui percebendo que eu não estava bem. Não estava concentrada. E desmanchei mais uma vez, peguei o novelo novo e fui.

Já próximo do natal a parte da frente quase pronta.

A blusa andou. Consegui avançar bastante, separar as alças e começar a parte das costas. Pensa que não desmanchei mais? Se enganou! Refiz as alças até encontrar a altura ideal e finalmente terminei na primeira semana de janeiro.

Subi uma alça e parei para começar o outro lado. Em uma das vezes que desmanchei, coloquei os pontos torcidos na agulha e ficou uma "marca". Deixei esperando para ver se iria arrumar ou não...

Era para o ano novo, mas eu já havia desistido. Fim de ano dedico muito do meu tempo para a loja, e nas horas vagas não seria possível encarar um projeto que estava me desgastando tanto.

Quando já estava quase entrando na parte das alças, decidi que iria desmanchar sim. E fiz isso mais algumas vezes até as alças ficarem certas, com uma boa altura e o novelo não acabar.

O importante é que terminei. Tem alguns erros sim, mas consigo lidar bem com eles. A receita é simples, se você quiser fazer tenho certeza que vai gostar. Não desistir foi fundamental para mim. Sou uma pessoa habituada a experimentar muitas técnicas e tenho certa facilidade com praticamente todas elas. Mas essa regata veio para me tirar da zona de conforto, e foi ótimo. Amadureci mais um pouco no tricô. Ainda quero desvendar muito mais dessa técnica tão incrível.


 
O modelo dela é bem curto, eu gosto, mas pensei em aumentar as alças, mas o decote iria ficar mais profundo e talvez o novelo não desse.

 
Aumentei as alças de trás, na receita elas são iguais, mas eu gosto do 
caimento quando o ombro fica um pouco mais para frente, como fazemos na costura.






Comentários

Postagens mais visitadas