Pular para o conteúdo principal

Criando Com Técnicas Diferentes


                   
                                                                 


 Este verão tem sido muito quente aqui em Sampa. E confesso que está difícil costurar. Mas como não consigo ficar parada, estou abusando
de outras formas criativas de expressão. Desta vez tem pintura e feltragem.


Ano passado fiz uma guirlanda de carretéis para a porta do meu homeoffice, como manda a tradição, no início do ano devemos retirar a decoração natalina. Só que comecei a sentir falta de alguma coisa, a porta ficou "vazia", sem graça.

O que fazer? Pensei em pendurar alguma coisa, talvez um móbile, mas como seria feito? Pois é, comigo as coisas funcionam assim, vou pensando, imaginando os materiais que tenho, dou uma pesquisada no Pinterest (ótimo para inspiração), até decidir.

Visito muitas feiras de artesanato, bazares e vou comprando itens que gosto e que pretendo usar um dia. Foi assim com essa janelinha de madeira. Sou arquiteta e o tema me atrai muito, adoro casinhas e tudo relacionado a elas, me recorda o tempo de faculdade onde fazia muitas maquetes. Bom chega de papo, vamos ver como ficou?

Janela definida, achei que seria ideal fazer um móbile, pendurar alguma coisa nela. Mas o que, são tantas opções, peixinhos de feltro, passarinhos de tecido, flores de crochê, até que me lembrei dos pedaços de lã merino que sobraram da oficina de feltragem. Então decidi fazer bolinhas de várias cores e tamanhos, além de leves ficam bem simpáticas. Enquanto enrolava, uma das bolinhas acabou ficando com um formato de coração, e ficou linda!

Ah, mas toda janela que se preze tem bandeirinhas fofas, rs, e lá fui eu cortar os retalhos de tecidos.


Bolinhas prontas, bandeirinhas cortadas, vamos para a pintura. Usei o vermelho em toda peça, inclusive na parte de trás, passei um azul marinho nas bordas, manchando mesmo, pra dar a sensação de mais velha, "usada".

 Depois de pintar e deixar secar, passei um spray de verniz fosco para proteger a peça. Agora é hora de organizar as bolinhas.



    












 Escolhi um fio de nylon para poder pendurá-las. Mas faltava um pingente, lembrei de uma das minhas visitas a 25 de março onde comprei umas franjinhas, e chegou a hora de usar. Primeiro coloquei o pingente, dei dois nós e para escondê-los, usei uma pedrinha de biju. Deixei um espaço e dei mais dois nós, coloquei uma agulha na linha e furei o coração de feltragem, fui fazendo assim com todas as bolinhas.

Depois de colocar todas, passei o fio pela fresta que tinha na lateral e coloquei uma bolinha bem pequena, dei dois nós pra finalizar e assim o fio de nylon ficou bem firme.



Agora vamos fazer as bandeirinhas. Também passei o fio de nylon por elas e prende com nós em cada uma das laterais.










Tudo pronto! Só que não, ficou faltando alguma coisa...as cortinas! Lá fui eu buscar meus itens de armarinhos e achei uma fita de renda super bonita que encaixaria perfeitamente nela.  Usei uma argola de biju no meio para ficar mais charmosa














Cortei do tamanho do vão, colei na parte superior e na inferior por trás da peça. Para dar melhor acabamento, colei uma fita fininha.















 Deixei secar e pronto! Só pendurar onde quiser. A minha vou deixar na porta do homeoffice, mas como ela é de madeira escura, não ficou muito boa a foto, então coloquei numa parede.



Gostaram?


























Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Presépio de Crochê

Faz alguns anos que desejo fazer um presépio de crochê para mim, e sempre penso que vou começar em janeiro, para que no final do ano ele esteja pronto. Acontece que janeiro é sempre mais agitado, depois vem carnaval e quando você percebe já acabou o ano. Meu presépio montado, estou bem feliz com o resultado. Não imaginei como esse projeto traria tanta alegria para minha casa. E neste 2019 não foi diferente, ou melhor, foi. Janeiro passou, chegou o meio do ano e nada de presépio. Mas um dia, no final de setembro decidi começar a crochetar o meu. Bastou dar os primeiros pontos para que eu tivesse disposição e assim foi. Antes mesmo de novembro terminar eu já estava com oito personagens prontos, que ao meu ver são os essenciais.             Alguns registros que fiz na execução dos três reis magos. Ontem, primeiro de dezembro montei meu presépio de crochê, usei uma base de mdf pintada (feita por mim que vai entrar na loja) para o fundo, e ficou lindo! Não imaginei como e

Presente de Aniversário - Aula Com a Lugastal

Segunda foi meu aniversário, e não consegui preparar nenhum post com antecedência - aliás isso está virando uma constante na minha vida de aspirante a blogueira. E não é porque não estou produzindo nada para compartilhar, muito pelo contrário estou numa fase super produtiva, mas não estou conseguindo me organizar para preparar os posts, aliás é preciso fotografar, passar as fotos para o computador, tratar as fotos, digitar o texto, é um trabalhinho considerável, que eu adoro, só não estou dando tanta prioridade neste momento. Um mar de Lindas! E só a minha de calça e blusa!  Algumas fotos são minhas, outras da Lu e das meninas Mas vamos o melhor dessa semana, rever minha querida amiga Lu Gastal. Quem está aqui há mais tempo sabe como eu e a Lu somos parceiras. Nos conhecemos num Patch Encontro promovido por ela em 2014 e desde então foram tantos eventos, feiras, aulas, passeios juntas. Quanta coisa boa tem acontecido comigo nos últimos tempos.              Quanto carinh

A Chita É Chique?

Para inaugurar essa nova etapa do blog, nada melhor que começar com um post bem colorido e cheio de histórias. Quem não conhece a chita, não é mesmo? Esse tecido mega colorido que era considerado de baixa qualidade, e agora começa a ganhar novos ares e novos lares também. Digo era, porque numa pesquisa rápida, descobri que tem estilista produzindo peças incríveis com ela, vem comigo. Quem me conhece um pouco mais sabe que adoro livros, e sempre dou uma olhadinha nas livrarias para conhecer as novidades. Numa destas, encontrei esse daqui: Uma Festa de Cores Memórias de um Tecido Brasileiro, que logo me chamou a atenção pelas cores. Ele conta a trajetória da chita no Brasil e como aqui se fez presente em muitos lares brasileiros. Os desenhos (ou melhor, colagens) são de Anna Gobel, com textos de Ronaldo Fraga. Não tive dúvida, comprei na hora! "Estampas falam, cores suspiram...mas só a chita canta e dança." Algumas páginas do livro, as imagens foram feitas com pedaç